"O Dilúvio caiu sobre a Terra durante quarenta dias.

As águas incharam e levaram a arca, que foi elevada a cima da Terra."

Gênesis, 7:17

Fundada em Abril de 2011, a Dilúvio Produções realiza trabalhos em Cinema, TV e Audiovisual; Mostras e Festivais de Filmes; Teatro; Música; e Artes Visuais.

 

 

 

SÓCIOS

 

Eduardo Cantarino nasceu em 1985 em Juiz de Fora - MG, e estudou Cinema na Universidade Federal Fluminense - UFF. Atua como Diretor, Produtor, Roteirista, Editor e Músico. É sócio e fundador da Dilúvio Produções.

Como Diretor realizou o curta-metragem "O Passageiro" (2013); e o video-clipe "Herói" (2014), da música homônima de César Lacerda. Foi Diretor de Produção dos longas-metragens: "A Morte de JP Cuenca", de JP Cuenca; "Yorimatã" , de Rafael Saar, selecionado na Mostra de SP 2014, na Semana dos Realizadores 2014 e no Festival de Havana 2014; e "Estado de Exceção", de Juan Posada. Foi Produtor de Som do longa "O Abismo Prateado" de Karim Aïnouz, selecionado no 64º Festival de Cannes. É Produtor dos longas "Apopcalipse segundo Baby" e "Peixe" (contemplado no edital de Fomento à Cultura Carioca 2014, e selecionado no Brasil CineMundi 2014), ambos com direção de Rafael Saar. Produziu ainda muitos curtas selecionados e premiados nos mais importantes festivais no Brasil e no mundo. Foi Curador e Editor do catálogo da mostra "O Cinema é Nicholas Ray" (CCBB RJ, SP e DF, 2011), e Produtor de diversas outras mostras e festivais no Rio de Janeiro - RJ, Juiz de Fora - MG e Santa Barbara - CA, EUA.

Atualmente está se focando em sua carreira de Diretor e desenvolvendo seu primeiro longa-metragem: "A Dança da Eterna Juventude".

Pedro Henrique Ferreira, carioca, graduado em Comunicação Social com bacharelado em Cinema na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Dirigiu o longa-metragem "Mergulho" e os curtas-metragens "Walter" e "Anotações em Novembro". Atua também como assistente de direção, editor e câmera em diversos projetos audiovisuais. É colaborador da revista de crítica cinematográfica Cinética.

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual da UFF e graduado em Cinema na mesma universidade. Dirigiu 4 curtas-metragens, entre eles Depois de tudo, com Ney Matogrosso e Nildo Parente, vencedor de mais de 10 prêmios, como Melhor Ator para Nildo Parente no Festival de Brasília, e Melhor filme estrangeiro nas Jornadas Argentinas de Cine y Video Independiente. "Homem-ave" foi exibido em diversos festivais e integra a mostra itinerante “El roce de los cuerpos” organizada pelo Museu Reina Sofia. Foi assistente de direção e pesquisador do filme "Olho nu", de Joel Pizzini, sobre o cantor Ney Matogrosso, com o qual ganhou em 2012 no Festival de Brasília o prêmio Marco Antônio Guimarães, pelo seu trabalho de pesquisa. É montador de “Barretão” (2019, dir. Marcelo Santiago), documentário sobre Luiz Carlos Barreto e comontador do curta-metragem "Mar de Fogo" (2015, dir. Joel Pizzini) que integrou a competição oficial do Festival de Berlim e . Seu primeiro longa-metragem "Yorimatã" estreou nos cinemas em 2016 e foi premiado em diversos festivais, destacando-se prêmios de Melhor Filme pelo júri e pelo voto popular no In-Edit 2015.

Nascido e criado na cidade do Rio de Janeiro, Thiago Brito é formado em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense, tendo estudado por dois anos no grupo de estudos para roteiro cinematográfico de Cláudio Macdowell, onde desenvolveu o roteiro para longa-metragem “Três”(2006). Foi curador da mostra “O Cinema é Nicholas Ray” (CCBB RJ, SP e DF, 2011). É curador da mostra “Paisagens do Rio de Janeiro: A Poética de David Neves”, que exibirá todos os longas do cineasta na Caixa Cultural do Rio de Janeiro.

É diretor e roteirista dos curtas-metragens: “Se Eu Morresse Amanhã de Manhã”, “Crisálida”, “Loïe & Lucy”, “Porto Arthur” (em finalização), "O Vermelho e o Verde" e “A Fugitiva” (em produção). Foi diretor-assistente de “Walter” (2011), de Pedro Henrique Ferreira.

Colaborou nos roteiros dos curtas-metragens “Fernando que Ganhou um Pássaro do Mar”(2013), de Felipe Bragança e Helvécio Martins Jr., e “Mar de Monstro” (2014 - em finalização), de Isabella Raposo, sendo produtor do mesmo e do curta “Solombra” (2015), de Pedro Henrique Ferreira. É um dos roteristas da série para a HBO “O Hipnotizador” (2014), dirigida por Alex Gabassi e José Eduardo Belmonte, em fase de produção.

Desde 2011, é colaborador da revista eletrônica de crítica de cinema "Cinética".